Sem Tabus

Que eu transe logo em 2016. Amém!

Quando o ano começa, também se inicia aquela cobrança de estrear sexualmente. Todo mundo quer umazinha. Dizem por aí que dar a primeira do ano logo em seu primeiro dia é começá-lo com estilo e saber que os outros 365 dias podem ser de muito sexo. Aos que não tiveram essa sorte, a contagem já começou e quem passar pela sua frente pode se tornar um alvo em potencial. Afinal, a vontade está gritando em seus poros.

Fazer sexo é uma vontade do corpo a qual nem sempre temos o controle. Há quem opte pelo antigo PA (Pau Amigo) ou BA (Boceta Amiga) só para não deixar adormecer o tesão que a pele exige e há aqueles que preferem manter a carne quente do que escolher alguém cuja química ainda não se entrelaçou em sua totalidade. Acontece que todas essas possibilidades advem de uma tentativa de repor as energias que o fim do ano se encarregou de levar.

Iniciar um novo ano é sinônimo de ter suas forças recarregadas e, portanto, novos recomeços. É quando se planeja as metas e – em alguns casos – até lhes coloca prazos. Assim, para algumas pessoas, fica mais fácil alcançá-las. A virada de ano é, nesse sentido, um novo impulso para que as esperanças se renovem e as coisas efetivamente mudem. Praticar o sexo, neste entremeio, é uma das formas mais gostosas de dizer: energias recarregadas, agora posso seguir em frente.

Comecei o ano no zero a zero, mas estou na contagem para dar uma e desempatar. Depois disso, recomeço a contagem das transas e das alegrias que o 2016 tem a me oferecer. Sexo significa saúde e bem-estar. Todos nós merecemos iniciar este novo ciclo, que é um novo ano, com esta delícia que nos faz tão bem. Que, então, nós transemos logo em 2016. Amém!

Lu Rosário

Jornalista. Baiana. Leonina. Feminista preta. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.