HomePosts Tagged "euquerotransar"

Sinto que nossas pulsões tornaram-se mais fortes ao ler a palavra SEXO. Realmente estas quatro letras formam um sentido pleno de satisfação e possível alcance do gozo. Quem experimentou, nunca mais quer saber de outra coisa (ou de outra vida!). Quanto maior a dosagem, melhor. O sexo é desses atos que só fazem bem ao corpo e que dá uma canseira danada, dessas canseiras gostosas que não custa nada repetir. Pode-se dizer que o sexo é uma forma do corpo de expor seus desejos recônditos e de liberar o que, inconscientemente, vive pedindo para permanecer preso/guardado.

Na adolescência, quando os hormônios começam a ferver, a curiosidade mostra-se aguçada e o desejo de se conhecer e conhecer o outro começa pela parte corpórea que diz respeito ao sexo. Em outras palavras, pelas genitálias. São essas cócegas, esse desejo subindo, essa estranheza, que nos leva a querer saber o que há por trás de tudo isso se persistirmos. Após a primeira vez, o famoso pecado instala-se, e nem sempre amor de xana, gama; amor de pica, fica. Muitas vezes o que fica é só a xana e a pica e lá se vai o amor.

O sexo está em primeiro lugar entre as coisas mais desejadas pelo homem. Vivemos em uma imensa vontade de saber, tal como afirmou Foucault. O ser humano sente a necessidade de conhecer, aprofundar, ler, falar, fazer, assistir ou quaisquer outras coisas concernentes ao sexo. É isso que parece alimentar-nos. Foucault nos diz, em História da Sexualidade 1, que na sociedade ocidental há uma ciência do sexo no qual este é visto como objeto de verdade. Além dele, temos Freud cujas explicações originam-se nesse âmbito da sexualidade.

Então, o que quero dizer com isso tudo? Quero dizer que não adianta corrermos. Se correr o bicho pega e se ficar o bicho come! Tanto faz correr ou ficar, nessa relação sexual, um quer comer e outro quer ser comido (assim como se diz vulgarmente). A abundância de materiais propagadores dessa qualidade erótica-sexual que nos circunda é enorme! Vemos bundas, músicas, ritmos, coreografias, peitos, pênis, ambiguidades em todos os lugares e meios virtuais ou não. Apelações é o que há!

Então, gente, nem venha me dizer que você não gosta de sexo ou de muito sexo porque eu assumo que eu amo tudo isso e amo em letras garrafais. I’m hot! I’m sexual! I love too much sex a lot, and you?

Quando o ano começa, também se inicia aquela cobrança de estrear sexualmente. Todo mundo quer umazinha. Dizem por aí que dar a primeira do ano logo em seu primeiro dia é começá-lo com estilo e saber que os outros 365 dias podem ser de muito sexo. Aos que não tiveram essa sorte, a contagem já começou e quem passar pela sua frente pode se tornar um alvo em potencial. Afinal, a vontade está gritando em seus poros.

Fazer sexo é uma vontade do corpo a qual nem sempre temos o controle. Há quem opte pelo antigo PA (Pau Amigo) ou BA (Boceta Amiga) só para não deixar adormecer o tesão que a pele exige e há aqueles que preferem manter a carne quente do que escolher alguém cuja química ainda não se entrelaçou em sua totalidade. Acontece que todas essas possibilidades advem de uma tentativa de repor as energias que o fim do ano se encarregou de levar.

Iniciar um novo ano é sinônimo de ter suas forças recarregadas e, portanto, novos recomeços. É quando se planeja as metas e – em alguns casos – até lhes coloca prazos. Assim, para algumas pessoas, fica mais fácil alcançá-las. A virada de ano é, nesse sentido, um novo impulso para que as esperanças se renovem e as coisas efetivamente mudem. Praticar o sexo, neste entremeio, é uma das formas mais gostosas de dizer: energias recarregadas, agora posso seguir em frente.

Comecei o ano no zero a zero, mas estou na contagem para dar uma e desempatar. Depois disso, recomeço a contagem das transas e das alegrias que o 2016 tem a me oferecer. Sexo significa saúde e bem-estar. Todos nós merecemos iniciar este novo ciclo, que é um novo ano, com esta delícia que nos faz tão bem. Que, então, nós transemos logo em 2016. Amém!

O verão chegou e, com ele, a sensação de calor. Nessa época, a transpiração aumenta e beber água torna-se ainda mais imprescindível. De acordo com Nuno Cobra, preparador físico, o calor modifica o corpo humano porque a temperatura interna das cavidades craniana, toráxica e abdominal aumentam. Ele afirma que se a temperatura subir demais, há uma desintegração das proteínas. Além do mais, na dinâmica de circulação do sangue, o preparador físico salienta o uso de roupas leves no verão para que, assim, ocorra a evaporação do suor, pois ele é o responsável por esfriar o sangue – que será levado ao interior do organismo com o objetivo de captar calor e conduzí-lo à superfície da pele.

 

Entre as inúmeras atividades físicas que podemos fazer nessa época, a melhor delas está ilustrada na imagem acima. Fala a verdade: a melhor e a mais prazerosa não poderia ser outra. O sexo movimenta as articulações e os músculos, trabalhando ritmicamente com todos eles e proporcionando saúde aos participantes. Sem contra indicação, ele queima um pouco das gordurinhas indesejadas e, segundo o cardiologista Nabil Ghorayeb, uma relação sexual normal (com provável duração de 10 min) corresponde a uma atividade física de intensidade leve a moderada.

 

Durante o sexo, o suor escorre e os corpos se escorregam um sobre o outro. Quem nunca virou o rosto para que o suor do outro não caísse dentro dos olhos? Quem nunca perdeu aquela escova que havia deixado o cabelo lindo? Quem nunca precisou dar um tempo para conseguir vestir-se por causa do corpo ou da roupa molhados? Quem nunca encharcou lençóis? Como assinalado acima, o suor é bom e para que o sexo ocorra com tudo o que tem direito, não é necessário roupa alguma – isso favorece a circulação sanguínea e torna a prática ainda mais saudável.

 

Um outro fator importante, além deste suor todo, é o cansaço que a atividade pode ocasionar. Se você ficar alguns meses sem transar, quando for fazê-lo, sentirá o corpo super cansado no outro dia. Essa é a mesma sensação de quem não está acostumado com academia e resolve começar a frequentar, a diferença é que no sexo você acostuma mais rápido (é claro, né?).

 

Neste verão lindo, entregue-se. Foda, transe, trepe, dê uma. Permita-se suar à vontade. Faça, do corpo alheio, tobogã. Não se preocupe com roupas de cama ou com quaisquer outros objetos e lembre-se, como canta Tuca Fernandes, que “É verão, sei lá, á uma vontade boa de se dar. Tempo bom de ser feliz, tempo bom de namorar”.

Musos e musas, a pergunta é: O que você pensa quando te convidam para assistir um filme? Reformulando: O que você entende quando alguém, cuja amizade não é tão intensa e cujo clima os circundam, convida para assistir um filme? É isso mesmo, não tem outra. Assistir um filme passa a ser sinônimo de dar uma, de se aproveitar de um momento no qual só os personagens falam para inspirar-se nas tramas dos corpos.

Se for comédia, aproveita para soltar uma piada no ouvido da outra (ou outro) e arrancar-lhe carícias mínimas que se expandem e tornam-se inteiras. Se for terror, para quê olhar tanto sangue e morte se tem uma vida deliciosa ao lado, não é verdade? No suspense, a gente prefere que o susto seja o toque alheio em direções mais interessantes. No romance, a gente acha que tudo é balela e parte para a melhor parte. Já no erótico, utilizamos como inspiração para nossos desenlaces. Um convite como este pode ser tudo o que alguém precisa e a melhor desculpa para uma saída básica, uma dormida fora ou assistir aquele filme que você tava doida. Mas fala sério, sabemos porque você estava tão doida assim! Como um amigo meu diz, “Pô, essa é mais velha que o Motel ‘Cê que sabe’, hein? É a que eu mais uso” e, realmente, é a mais discreta e super cola. Se a menina não quiser, ela não diz: Não quero fuder com você, não quero nada contigo… nem fala nada de grosseiro, simplesmente ela (ou ele) diz que não ta a fim de um filme e todo mundo fica de boa. Tem coisa melhor que isso?

As duas horas de filme sempre se configuram como umas das melhores transas. É tudo ali no chão ou sofá. Tudo rapidinho e com todo jeitinho. Tudo começando no querer não-revelado. Não quero dizer que este convite seja unicamente para este sentido. Claro que há casos em que assistir um filme seja somente assistir um filme. Às vezes o casal se envolve de verdade e fica só na narrativa cinematográfica. Nem todo convite tem esta pretensão, é claro! Enfim, este texto versa sobre o que geralmente acontece. Mas sim, diz aí? Já recebeu ou fez este convite? Está querendo assistir um filme? Nem precisa hesitar, se joga! Só dou um conselho: escolha um filme que já te falaram ser chato porque, assim, o clima esquenta mais rápido e você não se sente culpado(a) por não ter assistido. E, oh, no seu próximo filme, você quem vai torná-lo melhor no seu jeito mais entregue de ser.

Confesso que até pouco tempo, eu nunca tinha visto um vibrador clitoriano. Estava acostumada com aqueles enormes que simulam o pênis e acreditava que só daquele jeito eu poderia sentir prazer. Quando apresentaram-me ao bullet, já foi com o discurso de que ele é super desejado pelas mulheres. Eu pensei: será? Se é assim, então é claro que preciso usar! Antes de usar, logo vendi meu primeiro vibrador bullet e – na empolgação – meu cliente comprou as pilhas de imediato e fez um videozinho me mostrando a velocidade do danado. Foi amor à primeira vista, não minto. Acabei ficando com um pra mim e, como eu já disse, já testei e aprovei.

Este da foto, ao qual me refiro, é um vibrador bullet cápsula da Sensual Love. Apesar de alguns sites dizerem que ele também pode ser inserido nas regiões anal e vaginal, eu acho que o créu número cinco no clitóris já é o suficiente para nos deixar cheios de prazer até a tampa. Algumas mulheres não sabem direitinho onde se localiza o clitóris, então trouxe essa imagem para que não reste nenhuma dúvida às lindas.

ilustracao-vagina-clitoris

Este vibrador mede, aproximadamente, 5cm de comprimento por 2,8cm de diâmetro e o controle mede 9,5cm de comprimento e 3cm de largura, cuja utilização é feita por meio de 02 pilhas AA. É isso mesmo, ele tem controle. O fato de funcionar assim faz com que os homens também sintam interesse em adquiri-lo para umas brincadeirinhas a mais com a parceira. Inclusive, li no Bolsa de Mulher que este é um dos produtos preferidos pelos homens. Saber disso faz com que as comprometidas sintam mais vontade de usá-lo e percebam que a coisa é realmente boa.O bom é começar com a menor velocidade e depois ir aumentando até ficar louca e partir para outras preliminares e finalmentes, caso esteja fazendo isso acompanhada. Se você sozinha, então goze, minha linda. Você merece!

Só teve uma coisa nele que eu fiquei meio assim, desconfiada, foi o fato dele fazer um barulhozinho enquanto vibra. Se tiver gente em casa, for à noite e o silêncio estiver predominando o ambiente,, a saída é dizer que é o celular que não para de vibrar. O som dele parece um celular vibrando, ou seja, não dá para usar em qualquer lugar porque pode ficar chato. Fora isso, super recomendo. Para vocês perceberem como o safadinho vibra, fiz este vídeo abaixo para verem.

 

 

Antes e depois de usá-lo, é importante lavar com água e sabão neutro. Eu tive cuidado com o fio e só lavei a cápsula, peço que tenham o mesmo cuidado. E caso queiram um desses, saibam que vocês podem encontrá-lo nos Mastubadores e vibrador rotativo e na Rede sex shop – o precinho está ótimo. Um beijão, então, e muitos gritinhos de prazer porque nós somos uma gostosura e, portanto, merecemos!

Você tem problemas com se lambuzar? Melecar-se todo na hora do vucu vucu com o parceiro ou parceira? Com esta caneta, é assim! Ela vem em diversos sabores, os quais eu experimentei o de doce de leite e de leite condensado. O conteúdo é um líquido um pouco cremosinho e não foge muito ao gosto original dos doces convencionais. A Sexy Pen, da Sensuale, apresenta o slogan “Desenhando o corpo com sabor” e é realmente isto o que acontece.

A gente faz assim: desenha o que quiser no corpo alheio ou até mesmo no próprio corpo e, para tirar o que foi escrito antes que aquilo se desmanche, você passa a língua com tudo. Como é gostoso, você vai ainda com mais gosto e chupa com toda a determinação. Comigo foi desse jeitinho e contigo, provavelmente, não será diferente. Afinal, esta é a única função que esta caneta tem.

A vantagem da Sexy Pen é que a embalagem é super prática e conserva muito bem o alimento. Você não vai encontrar, no supermercado, um leite condensado no ponto certo de usar – sem precisar trabalho algum para abrir e para fechar a embalagem. Com a caneta, isso é a coisa mais simples do mundo. Além do mais, você pode usar em qualquer lugar e a qualquer hora. Dá pra passar na boca e beijar muuuuito. Então, despudorados, vale a pena ter uma. Dá até pra levar em uma festinha e surpreender por lá, pense nisso. São possibilidades demais para você perder de sentir esse gostinho.

Esta caneta não é cara e eu vendo, viu? Inclusive, quero deixar claro que caso eu não goste de algum produto, também vou divulgar seus pontos negativos e evitar vendê-lo. Portanto, gatos e gatas, podem confiar. Colem em mim e compartilhemos juntos nossas experiências, é gostoso demais!

Nunca reclamei de pau pequeno e os grandes que já peguei, sempre me caíram muito bem. Diante de tantas fotos e vídeos que vejo, acredito que nunca tenha pegado um tão grande ou tãããão pequeno assim. No entanto, tanto um quanto outro não costumam me atrair, mas tem algo que me enche a boca e que na hora da penetração eu amo: um pau grosso.

Quando ele é grosso, você enche a mão e ainda sobra mais um pouco. Você coloca na boca, chupa, lambe e se acaba sem que nem sempre precise colocá-lo todinho na boca numa garganta profunda porque você sente que aquela fartura pode ser apreciada demais com a língua e que ali você vai se demorar de qualquer jeito. Além disso, pra ele penetrar em você é uma tarefa mais árdua e isso é muito gostoso. Há um afrontamento da sua grossura com o seu buraquinho nada ingênuo e, quanto ele entra por completo, é só prazer.

Os finos não me dão tanto prazer porque entram e saem com uma facilidade que a gente, praticamente, não sente. Ele se acha no direito de abrir e fechar os pequenos e grandes lábios sem despertar tantos sentidos. Já peguei um pau que era grande e fino e, apesar do tamanho, ele não soube me surpreender justamente porque não tinha a largura que considerava suficiente para me adentrar da forma mais deliciosa.

Quero deixar claro que isso de grosso e fino pode ser relativo e isso de gostar de grosso também, sem contar que existem aqueles que consideramos ter grossura mediana e também gostamos. Contudo, pelo que já percebi, a maioria das mulheres estão comigo nesta escolha do grosso, por isso resolvi escrever sobre o assunto aqui no Pudor Nenhum. Independente de qualquer coisa, vem pra cá, chega mais, me chama de destino e me traça porque eu adoro.