Sem Tabus

Quando a coisa esquenta

Na hora que a coisa esquenta e que, além das mãos, outra coisa busca me invadir, só penso em uma coisa: camisinha. E você? Durante uma pesquisa, deparei-me com o livro de Vincent Vidal chamado “A pequena história do preservativo”. Neste livro, que ainda lerei, mas cujos pequenos resumos encontrei por aqui (pela internet), é dito sobre a preocupação os homens em proteger seu órgão sexual desde os tempos mais remotos. Inicialmente, visavam evitar possíveis doenças sexualmente transmissíveis; depois, começaram a pensar na possibilidade de evitar a gravidez. Acontece que saber disso é compreender o quanto o sexo sempre foi visto como uma fonte de prazer e não apenas como um modo de reprodução.

Quando a coisa esquenta, eu sempre penso: Quero foder, mas não quero engravidar. Sexo é muito bom e, como a própria história comprova, sempre foi uma delícia – principalmente quando se tem os devidos cuidados. É, então, por isso que lembro-me logo da camisinha. No entanto, é necessário pensarmos nela além da gravidez. Nós temos a mania de achar que conhecemos o outro o suficiente e que, por isso, ele não possui nenhuma enfermidade. Porém, a gente não conhece ninguém a tal ponto. Intimidade, muitas vezes, é guardada a sete chaves e podemos nos surpreender quando estamos neste âmbito. Ao saber disso, desconfie sempre e se proteja. 

Há quem diga que a camisinha inviabiliza o atrito entre o pênis e a vagina. Em relação a isso, não tenho o que negar; mas saliento: com camisinha, o sexo também é gostosinho. Sou prova viva ao lembrar das inúmeras vezes em que gozei com meus parceiros usando o preservativo (apesar de ainda não ter experimentado a camisinha feminina). Entretanto, se você acha que sem camisinha é mais gostoso e ponto final, então seja mais exigente ao escolher o seu parceiro (se possível, façam os devidos exames) e tome o anticoncepcional para não ter uma surpresinha após nove meses.

Todo homem tem esse lance de “só a cabecinha”, “juro que não vou gozar dentro” e “é só uma rapidinha”. Não vou negar que já caí muitas vezes nessa atitude irresponsável, mas depois tremia na base. Portanto, lindezas, cuidado com essas expressões sussurradas ao pé do ouvido – isso é uma armadilha gostosa que pode ter efeitos a longo prazo.

Quando for foder, esteja preparada para esquentar com todas as suas potencialidades ou para realizar a penetração de forma segura. Logo, se o sexo também é uma fonte de prazer, então vamos fazer isso valer a pena e sem grandes preocupações. Se não estiverem com preservativo, as preliminares já se configuram como um prato cheio para fazer da relação um gozo único.

Jornalista. Baiana. Leonina. Feminista preta. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.