HomeProdutos eróticosComo você usa as famosas bolinhas?

Como você usa as famosas bolinhas?

Se tem uma coisa que atrai as mulheres aos sex shops, essa coisa são as famosas bolinhas explosivas. Elas, a cada dia, estão mais diversificadas no mercado e deixando as despudoradas doidinhas por cada novidade. Existem bolinhas perfumadas, funcionais e beijáveis. Enfim, existem bolinhas a torto e a direita. Muitas marcas ostentam as danadas e seu baixo custo é um grande motivo para que, assim, ganhem o mercado. As bolinhas atraem tanto, não só por custarem uma bagatela, mas por ser visto como um modo diferenciado de lubrificação da mulher.

Elas surgiram com uma proposta bem diferente da atual. Quem bem sabe, conhece sua funcionalidade no momento do banho ou, até mesmo, pós-banho. Seu perfume proporcionava um ambiente mais cheiroso e aconchegante enquanto o seu formato podia auxiliar numa massagem relaxante no corpo do parceiro ou parceira. Pensando nisso, as bolinhas entraram no mercado. Porém, caiu no gosto popular uma variação do seu uso e, assim, mais mulheres começaram a procurá-las para serem usadas de outra forma, ocasionando momentos únicos na relação a dois. O mercado, é claro, não poderia perder uma oportunidade como essa e, então, investiu com força.

Desse modo, em vez do uso externo, as bolinhas passaram a ser usadas dentro do canal vaginal e, desde então, o assunto tem dado o que falar – tanto positivamente quanto negativamente. Afinal, quem nunca ouviu falar que fulana ou sicrana teve uma infecção por causa da danadinha? Ou que ela só saiu no dia seguinte após ser usada? Essas são histórias que a gente ouve e que não passam de verdades.

 

 

Apesar dos fabricantes indicarem as bolinhas para uso externo, os vendedores não são treinados suficientemente para venderem-nas. Assim, elas são vendidas indevidamente e a gente compra achando que vai arrasar. Pode até arrasar, mas pode ser também que tenhamos problemas futuros. Conforme a Resolução ANVISA nº3.161, de 18/07/2011, o Artigo 1º

“Determina, como medida de interesse sanitário, a suspensão, em todo território nacional, de todas as propagandas dos produtos Bolinhas Explosivas, pelo fato de apresentarem finalidade de lubrificação vaginal sem que possuam o devido registro junto à ANVISA. Despacho da Gerência-Geral de Monitoramento e Fiscalização de Propaganda, de Publicidade, de Promoção e de Informação de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária.”

Mais claro que isso, só dois disso. Portanto, o uso deste cosmético deve ser externo para lubrificação corporal e, nos casos das bolinhas funcionais, você abre ela e utiliza o produto na vulva aplicando com os dedos. Só que aí você me pergunta: e aquelas bolinhas gelatinosas? Eu respondo que elas também possuem uma película gelatinosa e estão dentro do que foi dito acima. Só que aí você me pergunta novamente: Por que todo este fuzuê em torno das bolinhas?

Acontece que os pontos negativos relativos ao seu uso estão na película que reveste o óleo, pois nem sempre ela é absorvida pelo organismo e isso pode causar corrimentos, alergias e infecções. Ela pode grudar no canal vaginal ou no colo do útero, causando – inclusive – infertilidade, como bem salientou a sexóloga e consultora sexual Carol Degani em seu vídeo Bolinhas Explosivas – um risco à saúde da mulher.

 

 

Além do mais, o líquido dentro das bolinhas também pode causar malefícios quando produzidos à base de óleo mineral ou vegetal posto que o pH costuma ser em torno de e a 8,5 enquanto o indicado para a lubrificação é  aqueles à base de água, cujo pH é 2. Como o pH vaginal está entre 4 e 4,5, qualquer líquido acima desse valor pode provocar irritações, alergias ou outros males –  ressaltou Co-Fundador da Feitiços AromáticoRobério Viana.

Diante do exposto, vamos mudar a nossa estratégia de uso das bolinhas? Vamos sensualizar usando elas no corpo, fazendo aquela massagem gostosa e preparando o ambiente para o que está por vir. Vai ser uma delícia e você ainda vai fazer um sexozinho tranquila sem medo algum de, futuramente, vir a sentir algo chato. Aposte nessa ideia e vamos gozar!

Gostou? Compartilhe
Quantas estrelas merece esse artigo?

Baiana. Graduada em Letras Vernáculas e em Jornalismo. Realizou pesquisa em Análise do Discurso, estudando a produção do discurso pornográfico. Descobriu-se apaixonada por assuntos relacionados ao sexo e a sexualidade. Adora brincar com as palavras e fotografias.

luu.rosarioo@gmail.com