Sem Tabus

Despir-se é também uma forma de se amar

Eu sempre fui daquelas que tinha vergonha de me despir frente ao outro. Comecei fazendo sexo no escurinho, dizia que era mais romântico, mais tátil e menos explícito. Na verdade, era tudo desculpa para não mostrar meu corpo que considerava magro e sem forma. Com o tempo, fui concluindo que o desejo e o tesão eram bem diferentes de uma imagem corpórea simplesmente. A vontade pelo outro transcende questões de corpo. Ainda que isso esteja embutido, nossas preferências são bastante relativas e quem me quer – me quer do jeito que sou, seja com magreza demais ou gordurinhas para leitura em braile.

Mas aí você diz: O homem é muito visual e é claro que ele vai perceber minhas imperfeições. Só que, a partir desta pergunta, eu jogo outra: Apesar de não ter te visto sem roupa ainda, ele a viu e sabe como você é. Certo? Se ele te quer e diz que sente tesão por você, tem certeza que ele irá se apegar aos detalhes do seu corpo? Ainda que se apegue, será para acentuar o que já existe de latente e que, provavelmente, é positivo porque senão a coisa não estava prosperando e partindo para o entra e sai.

O padrão de beleza existente é o que lasca tudo e causa insatisfações no mulherio. A gente acha que mulher pra ser gostosa tem que ser assim e assado, mas deixa eu te falar uma coisa: mulher gostosa é aquela que se ama e tem atitude. Se uma mulher for loira, alta, bundão, peitão e barriguinha sarada, mas – por alguma razão – não tiver autoestima, ela pode até chamar atenção a primeira vista, mas depois vai ser negligenciada por uma gama de homens que reconhecem a força e a sensualidade da mulher pelo seu modo encarar a vida. Em outras palavras, beleza é relativo e a gente tem que se amar para fazer sucesso e se despir lindamente na frente dele.

Se você não está feliz do jeito que é e acha que precisa perder ou ganhar uns quilinhos, atividade física e reeducação alimentar são fundamentais, mas não deixe se perder em vergonhas e trejeitos porque um streap tease é impagável – para ambos. Acredito que se despir frente ao outro é estabelecer uma relação consigo mesma, é uma prova de amor próprio. Pode ter certeza que, depois disso, você vai se sentir bem em qualquer lugar e o sexo vai fluir ainda melhor.

Eu me dispo na frente dele e em frente ao espelho. Faço streap e me atrevo frente à câmera. Atrevo-me para, assim, mostrar a mim mesma que sou uma delícia. Se você tem receios do corpo, faça o teste dos nudes (com todo cuidado do mundo, please), encare-se frente ao espelho, fotografe-se e olhe cada fotografia todos os dias. Permita-se se ver, rever e triver até se acostumar consigo mesma. Um exercício desse é muito bom e uma hora faz efeito, pode confiar. Agora vou ali me fotografar mais um pouco porque não faltam postagens por aqui. O importante, minhas gatas, é se amar.

Jornalista. Baiana. Leonina. Feminista preta. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.