Contos Hot

O dia que eu tomei o choque!

Estava em uma festa quando o batalhão da polícia de choque parou na minha frente. A ideia era pegar aquele policial que estava na minha frente, porém, em uma festa muito improvável, fiz de tudo até conseguir chamar a atenção dele. Seus olhos estavam vidrados no meu corpo enquanto eu subia e descia em movimentos sensuais de acordo com o ritmo da música. Começamos a conversar, o barulho da música impedia que eu entendesse alguma coisa, mas eu fui mais incisiva, pedi o telefone e consegui.

E agora, como fazer? Precisava pegar aquele policial e também voltar para minha cidade. Infelizmente ou felizmente, devido a um imprevisto, meu voo foi cancelado. Entretanto, já estávamos mantendo contato e avisei que iria continuar por conta do cancelamento do voo. Ele me informou os horários que eu poderia aparecer na Base, arrumei-me, chamei um Uber e avisei a ele que estava indo. Ele me recebeu na porta do carro, me pegou forte e disse que eu teria que acompanhá-lo, pois já havia dado o toque de recolher.

Entro dentro do carro e ele passa a mão na minha coxa e dá uma apertada tão gostosa que eu já comecei a sentir minha buceta piscar. Ele me pergunta se eu não tenho vergonha de deixar o policial de pau duro no meio de um evento e começa a me beijar. Eu estava de vestido, ele tira minha calcinha e ali mesmo começa me chupar cada pedacinho do meu corpo e voltava para minha boca com aquela língua deliciosa. Ai, que beijo gostoso. Tira meu sutiã e chupa meus seios que já estavam fazendo eu gritar de tesão, pressionando a cabeça dele contra minha vagina.

Enquanto eu me contorcia, minha vagina estava toda molhada. Eu rebolava bem gostoso quando sentia aquela língua entrando e saindo. O policial disse: – Desde o evento, quando te olhei, sabia pela sua cara que você fazia gostoso. Colocou a camisinha, abaixou as calças da farda e foi metendo com força. Enquanto eu gritava, perguntava se aquilo era força de policial. Nisso ele virou e disse: – Você merece uns tapas por ser uma menina má. E me batia tanto que queimava. Ele me fodia bem fundo e gostoso, parava, me chupava e tornava a comer minha bucetinha molhada de tesão.

Ele me dá outros tapas, eu, não resistindo, bato nele também. Então ele me deita numa tentativa de um papai e mamãe bem delicioso. Começa mais uma vez e eu delirava sentindo aquele homem dentro de mim, aquele caralho duro me arrombar. Eu arreganhei bem as pernas pra aproveitar aquele tesão de homem em cima de mim. Quanto mais eu rebolava, ele gemia e implorava pra que eu fizesse mais e mais me chamando de cadela, vadia, recebendo uns tapas. Ouvindo aquilo, não aguentei e gozamos juntos.

Ele me ajudar a me aprontar enquanto o Uber vinha me buscar. Ele se despediu falando que qualquer problema era só chamá-lo que ele iria me ajudar, mais que depois eu já sabia como teria que pagá-lo de um jeito bem gostoso. Voltei para o hotel, continuamos trocando mensagem, ele disse que sempre que eu estivesse na cidade, estava convidada a visitá-lo que era uma pena eu não morar ali porque ele ia ia querer todo dia e foi assim que eu tomei um choque.

 

Anastasia.

Avatar

Jornalista. Baiana. Leonina. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.