Sem Tabus

Discutamos aqui que eu te dou ali!

Naquele dia, conversávamos sobre assuntos relevantes e sobre os filmes que assistimos. Falávamos também de algumas leituras. Eu falava de Triângulo das Águas, de Caio Fernando Abreu, enquanto ele me dizia que estava lendo On the Road, de Jack Kerouac. Cada palavra que trocávamos, cada ironia minha e percepção dele me tornavam mais apta a sensações deslocadas de tesão por aquela pessoa que se apresentava para mim de forma tão perspicaz.

Assim como muitas mulheres, compreendo a inteligência como um afrodisíaco. Ela nos instiga a querer conhecer mais o outro e aliar-se a ele em outros sentidos que não sejam somente os cognitivos. Certo que esse não é um critério para todas as mulheres (e nem para todos os homens), mas para mim e às que compartilham do meu sabor pelos homens inteligentes, há que se entender a te(n)são que dá estar perto de um homem ou mulher inteligente.

Um homem inteligente sabe usar isso a seu favor. Primeiro porque ele não tem mente quadrada, pelo contrário, ele sabe ouvir o outro e se colocar no momento adequado. Segundo, ele sabe que nem tudo deve ser levado ao pé da letra, portanto, o seu bom humor nos prestigia tornando o encontro descontraído. E terceiro, ele pode ter malícia. Mas não é aquela malícia exacerbada e a todo instante.  Pode ser uma malícia que sabe se impor, que sabe ser tentadora e que provoca (e como provoca!).

Homens inteligentes atraem em tudo: pelo seu comportamento, pelas atitudes, pela postura, pelo domínio do que se quer falar, pela pegada na hora ideal. Além do mais, mulheres gostam de ser surpreendidas. Lidar com um homem mais esperto que ela, a deixa ouriçada. Há coisa melhor e mais atraente do que isso? Quem bem disse isso foi Theophile Gautier ao concluir que “Amar é admirar com o coração e admirar é amar com o cérebro”. E eu concordo com ele, posto que o invólucro corpóreo é só uma vestimenta que apresenta o homem, ele em si é o que se mostra por dentro quando conversa e exala isso em palavras.

Todo o erotismo está justamente nesse apresentar-se, nessa exposição do que nele contêm. E inteligência não é só domínio de conteúdo, mas sim um pacote no qual estão inclusos caráter, atitudes e experiências de vida. Digo isso porque conheço homens graduados e pós-graduados em boas universidades, mas ignorantes e machistas. Para mim, o homem pode ser destituído de beleza porque não estou nem aí! Quer dizer, não precisa exagerar ao me apresentar para um sem dentes, menor que eu e tal porque seria hipocrisia minha dizer que somente a inteligência é fundamental.

A beleza também tem sua importância. No entanto, se for para escolher entre a beleza e inteligência, prefiro o fator inteligente. Salientando que a beleza é algo totalmente relativo e a inteligência também, é necessário uma conexão e sintonia entre pensamentos para que o ritual de sensualidade se complete, concorda? Não sei se você vai me achar seletiva depois deste texto, mas não pense que sou. Inteligência não é algo que se adquire somente e livros e universidades, ela vai além, digo que ser inteligente é saber lidar com a vida.

Diante disso, lembro-me do termo sapiossexual – aquele que é atraído sexualmente pela inteligência. No entanto, acredito que eu não seja porque minha atração ainda não alcançou os limites femininos e ser sapiossexual não tem a ver com gênero. Espero, ainda, conhecer muitos homens que me atraiam pelo bom papo. Sinto falta de sentir esse desejo brotar.

Jornalista. Baiana. Leonina. Feminista preta. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.