Sem Tabus

Banho pós-sexo: vamos conversar sobre isso.

A pergunta nas redes sociais foi: Você toma banho depois de nhanhá? Isso mesmo, nhanhá – mais um termo utilizado para evitar o despudoramento linguístico e para que os mais tímidos sintam-se à vontade. Não é de hoje que penso neste assunto e o vivencio. Aliás, para ser mais sincera, um ex-namorado já me questionou o porquê eu tomava banho após transar se o sexo era algo tão bom e que, em vez de nos sujar, nos limpava a alma. Isso faz alguns bons anos, mas eu nunca esqueci e, após ouvi-lo, passei a enxergar tais circunstâncias de um outro modo.

A gente preza pela higiene, é claro. E, por isso, creio que seja ainda mais higiênico um banho antes da foda porque colocar a boca em um local que esteja com cheirinho desagradável e todo melecado de suor não é tão legal. Embora, às vezes, a gente faça isso quando somos pegos pelo tesão e em locais de pura adrenalina e ache muito gostoso, sabemos que a coisa fica bem melhor quando ta tudo limpinho e cheirosinho. Assim, o cheiro de sexo fica ainda mais afrodisíaco. Além do mais, higiene não se refere apenas ao banho de qualquer jeito. Hoje em dia, existem os lenços umedecidos íntimos que surgiram com esta função e podem ser carregados na bolsa lindamente. No entanto, sabemos que nem todos andam com um desses na bolsa – eu mesma ainda sou bem relaxada.

Eu disse sobre a questão higiênica antes do sexo, mas isso não significa que eu ache desnecessário que ela também ocorra depois. É claro que temos de tomar banho todos os dias para ficarmos cheirosos para a lida do dia, mas para quê a pressa do banho pós-sexo? Tão bom sentir o cheiro que a transa emana e tão bom ficar naquele grude com o outro. Tomar banho não precisa ser uma regra. A depender das circunstâncias, é bom e importante se banhar. Se os dois querem foder um pouco mais e de uma forma diferente, como a que uma água sobre ambos proporciona, então também vale a pena caírem debaixo d’água.

Quando eu digo das circunstâncias, refiro-me aquela saidinha com os amigos mais tarde, o encontro com a família, a roupa de cama que não pode sujar ou quaisquer outros compromissos que venham a ocorrer depois daquele momento de euforia. Espero, portanto, que tenham entendido minha colocação. Se não entendeu, vou repetir: banho pós-sexo não precisa ser compreendido como uma obrigação porque transar não suja ninguém, pelo contrário, purifica. Sexo é FODA e eu tenho certeza que todo mundo concorda comigo. Depois que a gente dá uma, o corpo suspira e diz o quanto se sente livre, não é verdade? Depois que a gente dá várias, ele faz festa porque, como disse Eduardo Galeano, “A igreja diz: o corpo é uma culpa/ A Ciência diz: o corpo é uma máquina/ A publicidade diz: o corpo é um negócio/ O Corpo diz: Eu sou uma festa”.

Lu Rosário

Jornalista. Baiana. Leonina. Feminista preta. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.