HomePosts Tagged "sexooral"

Em 2014 saiu uma pesquisa realizada pela Sex Wipes e que até hoje repercute nas mídias sociais. A Sex Wipes é uma empresa, na época recém chegada no Brasil, que vende lenços umedecidos para higiene íntima e chegou gerando a maior polêmica: 78% dos homens têm nojo de fazer sexo oral em mulheres. Mas como assim?! Foi essa a pergunta que me fiz. Claro que eu não imaginava que todos os homens gostassem da nossa menininha dos olhos, mas a porcentagem foi muito alta e os homens justificaram-na fazer, mesmo com nojo, pelo fato de buscar agradar a mulher, de ser um ato sem pensar devido ao tesão (porque se fosse racional, teriam nojo e não fariam), pelo medo de serem considerados gays ou de serem traídos por não cumprirem com esta função durante o ato sexual. Para completar, eles alegaram que o nojo advém do fato de a vagina ser muito úmida, ter pelos, cheiro e gosto ruim, aspecto desagradável e até mesmo por medo de pegar doenças sexualmente transmissíveis, por questões religiosas e por falta de confiança ou vontade da parceira.

Acredito que o sexo é uma prática que envolve intimidade máxima e, portanto, não pode ter frescuras. Quem sente nojo de fazer isso e aquilo não alcança o êxtase completo porque fica limitado. Além do mais, os envolvidos não podem ser egoístas, visto que este é um ato compartilhado. Assim como eu quero sentir prazer, eu o ofereço e é essa troca que possibilita o orgasmo. A palavra nojo para este momento entre duas ou mais pessoas caracteriza uma falta de entrega, pelo menos é assim que penso quando vivencio o sexo. Durante a relação, a vagina e o pênis são protagonistas. Parece que quando nos dispomos a transar, eles entram em cena para atuar em todos os papeis que lhes forem oferecidos. Então, pergunto novamente: Pra quê nojo? No entanto, gosto é gosto, né?

Assim como tais entrevistados, já ouvi muitas mulheres também dizerem que tem nojo de fazer sexo oral em homens e de manifestarem sua preocupação dele ejacular enquanto ela está com a boca na botija. Conforme elas, o sêmen é nojento e tem gosto ruim. Sinceramente, eu acho tudo uma delícia. Além disso, os pelos também são considerados vilões em ambos os sexos na hora do oral – sou a favor de mantê-los aparados. Em relação ao cheiro, é claro que não será legal se a higienização não for bem feita. O suor e o fato da genitália ficar abafada pela roupa intima favorecem um odor um pouco forte, então um banho antes e um cuidado diário é essencial. Se o odor for muito intenso, é importante procurar o médico. Além desses cuidados, fazer exames anualmente ou semestralmente é importante para qualquer um e garante a saúde e a segurança no momento de se relacionar.

Uma coisa, que vale a pena salientar, é certa: a nossa sociedade é machista demais para que o homem tenha medo de ser visto como gay por não ter disposição para o sexo oral em mulheres. A nossa sociedade é moralista demais para não torná-lo disposto por questões religiosas. Quando assistem filmes pornôs, será que pensam o quê? E ser gay é simplesmente não gostar de vagina?  É considerar isso um desvio? Não fazer sexo oral é apenas não ceder ao sexo em sua completude ou é uma questão de gosto, não podemos julgar.

Quando soube dessa pesquisa, conversei com alguns homens e todos eles acharam loucura o resultado. Todos alegaram adorar o gosto e a prática, apesar de alguns salientarem que nem todas as vaginas são bonitas e dão tanto prazer. Mas nem tudo é lindo, né gente? Cada um tem seu gosto – em relação a tudo na vida. As mulheres que conversaram comigo também alegaram que nunca ficaram com um homem que demonstrasse não sentir prazer ao fazer sexo oral nelas. Enfim, independente do resultado da pesquisa, saibam – homens – que higienização e sexo de todas as formas é tudo. Se não tiver tão a fim por fatores resolvíveis, então dá um jeitinho de resolver e caia de boca – vai que desfazendo alguns desentendidos, você não gosta, hein?

Não faço parte dessa margem abestada dos homens. Adoro chupar uma bucetinha limpinha e cheirosinha.
– Leitor Pudor Nenhum

 

Acho que tem alguma coisa que não confere. Pelo menos aos homens da minha geração, não tenho do que me queixar..rsrsrs.
– Leitora Pudor Nenhum

Uiuiui, falar de sexo oral é uma tentação! Só em começar a escrever-lhes, já fico com água na boca! Eitha!

O prato principal deste post é esse mastro que só vocês, homens, têm. E a mulher, quando quer, ela sabe caprichar e fazer qualquer homem virar os olhos de tanto tesão. Entretanto, para que a bocada seja boa mesmo, é preciso que o homem também tenha alguns cuidados. Um deles é deixar o pênis limpinho e sem tantos pelos, pois quando a genitália está muito  peluda fica difícil uma melhor performance da mulher. Neste aspecto da higienização, é relevante optar por um banho juntos, se possível, para que não tenham dúvida do odor na hora da refeição e para que aproveitem da circunstância e se dêem no pouco espaço do banheiro.

O sexo oral, até mais que outras variantes no ato sexual, exige prazer e concentração. Se uma mulher não estiver tão satisfeita em chupar o pirulito do parceiro, melhor não fazê-lo por que senão ele irá perceber seu desprazer ou então ficará enjoada.

Abocanhar a ereção com calma, começando pela barriguinha, descendo pela virilha com a língua e alisando os testículos é a melhor maneira de deixá-lo tremer na base. Enquanto você chupa com todo prazer do mundo, alise os testículos dele e segure firme no pênis simulando uma masturbação. Ah! E durante todo esse processo, olhe para ele e olhe nos olhos dele mostrando que está no controle. E outra: mulher tem essa preocupação de estar bonita ou não. Amiga, não importa se você está descabelada ou com olheiras. Nada importa! Ele vai te achar um e-s-p-e-t-á-c-u-l-o!

Algo também importante é a sensibilidade que o homem tem na cabeça do seu melhor amigo. A personal sex trainer Fátima Moura diz, em entrevista para o IG, “Contraia os lábios na glande e não mova mais a boca. Mexa a cabeça em círculos e deslize suavemente”. A glande é a cabecinha, vale salientar! Oh delícia, mô pai!

Aproveitando o assunto, a ciência descobriu que o sexo oral tem causado mais câncer de garganta do que cigarro e bebida devido ao vírus HPV, maaas não se assustem! Há vacina, há prevenção com o uso de camisinhas e também há camisinhas hiper fininhas e dos mais diversos sabores. O sexo oral pode ser mais que gostoso sem risco nenhum! E de falar tanto, só bate a vontade! 

Despudorados, o que vocês acham disso tudo? Depoimentos? Situações inusitadas? Porque o melhor de tudo é fazê-lo em qualquer lugar, é bem facinho de disfarçar e dá para alcançar um orgasmo em ambos, basta doar-se.

Este é o questionamento mais comum que existe quando o assunto é sexo. Cuspir e engolir são as palavras da vez no manual do sexo oral masculino e, quem coloca a boca na botija, costuma se perguntar como deve reagir ou então opta por seguir seus impulsos e as dicas das amigas. No entanto, não é simples assim decidir-se quais caminhos dar para a porra do cara que quer ejacular ou acabou de realizar o ato em sua boca ou nas proximidades dela.

Algumas mulheres dizem do cheiro, outras falam que o gosto é ruim e há quem diga que é bom. Algumas não curtem a espessura e outras adoram tudo isso. Logo, como tudo na vida, gostar ou não de engolir é algo bem relativo. Entretanto, há uma gama de mulheres que tem vontade de experimentar, mas não sabe como fazê-lo porque – para isso – precisa conhecer melhor sua composição. Quase esqueço de dizer, mas há quem diga que a porra (como já disse anteriormente e como costumamos falar) é bastante nutritiva e faz bem para a pele e para os cabelos.

Pensando no que tantas pessoas dizem por aí sobre o assunto, resolvi fazer uma pesquisa (é claro!). A porra é composta de esperma, muco, plasma seminal e fluído prostático A, além de conter cerca de 10% de esperma e o restante consistir em enzimas, vitamina C, cálcio, proteína, sódio, zinco, ácido cítrico e frutose. De acordo com o Sexpedia, uma ejaculação corresponde a uma colher de chá de sêmen e essa quantidade possui 20 calorias.

Quanto ao gosto, lembro-me muito bem de um norte-americano que o utiliza em suas receitas e chegou a publicar um livro. Paulo Photenhauer é um enfermeiro que vê no sêmen, há 9 anos, um dos ingredientes de suas receitas. Como um bom conhecedor, ele ressalta – em uma entrevista para a Folha de São Paulo – que “Percebi que comer gengibre melhora o sabor, então passei a beber muito chá de gengibre”.

A alimentação do homem, portanto, pode modificar o gosto da sua porrinha. O Sexpedia também salienta que alimentos como carne vermelha, alho, cebola e café podem deixá-la amarga e ácida enquanto os alimentos que naturalmente contêm açúcar, como frutas, podem deixá-la mais doce. Logo, a gente conclui que não precisa ter receio de engolir porque depende do que o boy come pra o leitinho ficar gostoso ou não. Leu isso aqui, homens? Este texto também é para vocês.

Uma coisa essencial é saber muito bem com quem o parceiro anda, ou seja, confiar bastante nele porque o esperma também pode oferecer riscos à saúde caso ele possua alguma doença infecciosa ou sexualmente transmissível. Sexo oral deve ser feito com camisinha, o “cospe ou engole” deve ser realizado em casos especiais, ok? Para os homens, o fato de engolir ou não deve ser só um complemento ao prazer. Cabe, a quem vai degustar, a palavra final. O momento deve ser gostoso para ambos. Se você não tiver a fim de engolir, então cuspa. Ninguém é obrigada e o seu prazer conta muito e conta sempre – não se esqueça disso.

 

Não tem mimimi nem blablablá, quero calar a minha boca com seu ato mais profano e mais digno de liberdade. Pode metê-lo quente, firme, ereto. Inclusive, quero ver e senti-lo gemer junto a mim enquanto sugo toda a sua sexualidade em ostentosas chupadas e lambidas, de modo a prepará-lo para esbanjar todo o banquete que continuamente prepara para o nosso desfrute. Sem frescuras ou quetais, movimente-o para frente e para trás que eu o sentirei brincando entre meus lábios e divertindo-se com minha língua e dentes.

Maravilhosamente, minha boca se enche d’água, prazer e fogo. Assim, alguns alertas são lançados em meu corpo e, ao menos, da calcinha preciso me livrar. Já não estou com ela, já não quero nem saber de travas. O sistema nervoso balanceia e permite às pernas ficarem bambas e minha boceta encharcar-se. Com uma mão, seguro o seu pau firme e o sustento em minha boca sem cautelas. Com a outra mão, esfrego entre minhas pernas que se manifestam em todo gozo.

Meus dedos vão em sua boca. Gemidas soam como canção em meus ouvidos. Você solta o seu fervor em mim e eu sinto o gosto e me banho com toda a porra esbravejada. Com isso, me jogo sobre você para darmos prosseguimento aos enlaces que nos apontam querer um ao outro.