HomePosts Tagged "sexocasual"

Em casa me arrumando para mais um dia de trabalho, saio do banho e sinto a fragrância do meu shampoo. Pego meu hidratante e deslizo os dedos por todo meu corpo, sinto minha pele macia e imagino o quanto eu queria outras mãos nela agora. Coloco minhas meias e um vestido, pego meu sobretudo e saio de casa, já estava atrasada. Eu estudo literatura e estagio em uma editora perto de casa, quase não tenho tempo para mim, o que é ao mesmo tempo reconfortante e assustador. Saio da faculdade e vou para o trabalho sinto como se o dia fosse seguir seu curso natural.

Ao entrar com meu copo de café às pressas no prédio, acabo me esbarrando em um homem, peço mil desculpas e tento ajudá-lo. Corro na cozinha para funcionários agarrada as suas mãos e o limpo, paro e só então reparo em seu rosto jovial. Ele tinha mais ou menos uns 28 anos, pouca coisa a mais do que eu, certeza. Desculpo-me mais uma vez e me despeço indo para minha sala.

Passo o dia todo pensando no acontecido de mais cedo, leio mais alguns possíveis livros e me prendo em um: Ao caminho da escuridão. Já no titulo eu me deparo com qual seria o contexto do livro e fiquei a tarde toda nele, levo-o ao meu chefe e apresento como um potencial a ser publicado. Modéstia parte, os três últimos livros que eu o apresentei foram sucesso de vendas.

Volto para casa em mais um dia concluído e me jogo na banheira analisando os acontecimentos do meu dia. Levanto para atender ao telefone e vejo meus amigos me chamando para ir a uma baladinha. Aceito e em 20 minutos já estou a espera deles. Aguardo ansiosa, pois precisava esquecer aquele rosto de mais cedo. Rodrigo, Aline e Pietro chegam para me pegar. Fomos à mais nova baladinha da cidade, lá nesses últimos dias era o local do momento. Entramos e peço um drink, fomos à pista de dança e avisto lá do outro lado do bar o homem de hoje mais cedo.  Ignoro, pois já passei tempo demais com ele na cabeça e danço como se não houvesse amanhã.

Quando sinto uma mão na cintura e um sussurro me perguntando se queria seduzir todos os homens do recinto, olho para trás e era o homem de mais cedo. Digo que o único homem que quero seduzir é ele, brinco. Rimos bastante, mas meu inconsciente sabe que é verdade. Começamos a dançar e eu estava cada vez mais atraída por ele. E sentir aquelas mãos em meu corpo só fazia meu desejo aumentar. Paro quase sem ar e vou ao banheiro, com a Aline me perguntando quem era aquele homem de 1,80, moreno e olhos azuis, rindo respondo o desastre de hoje mais cedo para ela.

Saio do banheiro e sinto uma mão me puxando, olho e era ele. Apenas o sigo. Entramos em uma salinha reservada, só pessoas Vips tem acesso a ela, mais nem me atento a isso. Ele se aproxima de mim e pergunta se podia me beijar, olhando nos meus olhos ele já sabia que eu era dele. Apenas balanço minha cabeça em um sinal de consentimento e nossos lábios se tocam. Uma onda de eletricidade percorre meu corpo, envolvo meus braços em seu pescoço e sinto o gosto da sua boca, o doce e o tom alcoólico do seu beijo me entorpecem.

Sinto suas mãos percorrendo minha perna até segurar a barra do meu vestido e, com um movimento único, eu fico seminua na sua frente. Não me sinto tímida, pelo contrário, me sinto poderosa, me sinto desejada, quero sentir sua boca em cada centímetro do meu corpo. E, como se ele lesse minha mente, me joga no sofá e começa a beijar minhas pernas, contorço de prazer. À medida que ele sobe, a ânsia de tê-lo dentro de mim cresce e ele brinca e acaricia minha barriga e, enfim, chega com seu beijo doce. Tento me movimentar e sinto o quão dominador ele é e naquele momento eu não queria mais nada só o toque de sua boca e mãos em minha pele.

Retiro a sua blusa e fico admirando aquela escultura, desabotoo sua calça e o liberto para mim. por um momento sinto que estou no controle, mas estou enganada. Ele me prende e desce beijando minha nuca, eu já estava completamente entregue a ele e ele sabia disso. Olhando nos meus olhos, ele me penetra em um movimento ímpar. Sentir cada centímetro dele entrando era como se eu encontrasse o pote de doces no final do arco-íris e num vai e vem cadenciado me delicio com o seu gosto, toque e cheiro. Cada vez que se intensifica, sinto que estava prestes a explodir e assim acontece como se nosso corpo fossem programados para o prazer. Ficamos ali curtindo o momento e nos conhecendo enquanto ele acariciava meu corpo com a pontas dos dedos.

Momentos depois nos despedimos e eu sentia que aquilo, aquele momento seria único e o último. Torcia para estar enganada, acho meus amigos, nos divertimos mais um pouco e vou para minha casa. Tomo um banho e me deito sentindo o gosto mais exótico e único da minha vida e, assim, adormeço.

Era uma tarde interessante, resenhas a parte, fui desafiada, baixa o TINDER ai pra gente ver qual de nós leva mais curtidas dos caras. Desafio aceito, baixei o tal app (eu nem acredito nesses app), logo de cara aparece a foto de um belo jovem; dei like kkkk,  nessa hora o app diz que combinamos) aparece então a opção de enviar mensagem, aula termina saio do app e vou para o ponto do ônibus, hora de ir pra casa, chegando em casa telefone vibra… adivinha só o que era: era o jovem bonitão, sim era ele.

Boa noite ele escreveu, respondi com o coração acelerado( sem entender o porquê da ansiedade) perguntou o que eu procurava ali e o que eu esperava dos caras, muito direto e objetivo em sua busca, foi logo dizendo: quero te proporcionar muito prazer e diversão se você se permitir. Então perguntei! Você é casado ou solteiro? Ele então responde sou casado, (nossa brochei na hora) as minhas mensagens nesta hora acessaram. Tomei banho comi alguma coisa, peguei o notebook , vamos estudar um pouco né!

Celular vibra novamente, meu casamento ta mal, por isso estou aqui (disse o belo rapaz), mas como eu poderia me envolver com um cara casado! Esqueci isso por um tempo, começamos a trocar mensagens, vamos pro Whatsapp! Lá é melhor pra conversar, me deu o número do celular e adicionei logo. E então moça quer diversão ou não? Perguntou. Eu ainda com muito receio disse: não vai ter problemas com sua mulher? É nós sermos discretos no início, quando tudo estiver resolvido nada mais vai nos atrapalhar; então abri meu coração e disse a ele oque eu esperava de um homem.

Continuamos a conversa no outro dia, trocamos fotos, falamos de desejo. Marcamos então o encontro, eu na sala de aula celular vibra: venha estou na porta, disse ele: já estou saindo respondi, fim da aula saí dali sem nem saber se ele estava de carro ou que carro seria o dele, perguntei? Onde ele estava, então o encontrei. Beijinho no rosto, e ele é mesmo muito bonito mais do que nas fotos, conversamos um pouco, e finalmente chegamos ao MOTEL. Como assim: tá louca mulher? Sem muita demora nos beijamos, beijo bom… eu pequena ele alto, sentamos na cama e trocamos carícias, amassos nos seios, beijos no pescoço, correu as mãos por todo meu corpo, desamarrei o nó do macacão que eu estava usando e então lá estava eu nua!

Ele contou cada tatuagem no meu corpo e disse: são lindas e vc é mesmo pequena, arrancou minha calcinha, passou a mão em minha ppka. Pronto desmontou a mulher. Me pôs logo pra chupar, me engasguei com com ele em minha garganta, à expressão de satisfação por eu ter engasgado era nítida em seu rosto, me pôs por cima, me pôs de quatro, nossa tava bom aquele negócio, fomos pra poltrona, me pôs de quatro tapas na bunda e no rosto ( ahh como eu gosto disso) voltamos pra cama então ele goza… retira a camisinha e manda eu chupar até que não saia mais esperma, ele gosta de dominar e faz bem esse papel.

Tomamos banho e voltamos pra cama. Me chupa mais um pouco disse ele: obediente cai de boca, mais um preservativo e a ordem fica de quatro quero comer seu cu agora! Eu não muito experiente em anal estava com medo. Relaxa você nem vai sentir prometo, sachê de lubrificante uns estímulos com o dedo e então começou a penetrar(dor do caralho) mas ele sabe fazer, como um bom dominador meteu ate o fundo, nossa, dor prazer tudo misturado. Meteu mais fundo, como era nosso primeiro encontro e eu o pedi pra tirar porque estava doendo então ele tirou do meu cuzinho dolorido, fomos pro chuveiro camisinha retirada mas ele ainda não gozou! Ajoelha quero gozar na sua boca! Desci chupei e mais uma vez ele gozou, terminamos o banho nos beijamos e ele ainda demonstrava estar com tesão, mas era hora de voltar pro trabalho e eu para casa, me trouxe até perto de casa, pois eu não quero me comprometer,em meu corpo ainda o sinto e espero logo reencontrá-lo.