Sem Tabus

Enfim, chegou o Natal.

Quando chega o Natal, eu penso: mais um ciclo se fechou. Sim, mais um ciclo realmente se fecha. O Natal é aquela data significativa tanto no sentido religioso quanto em sentido amplo. É o momento em que as confraternizações começam, em que a família se reencontra, as pessoas trocam presentes, a paz se instala provisoriamente e a contagem regressiva para finalizar o ano começa. O Natal é aquela ponta do iceberg onde tudo, literalmente, começa a mudar ao nosso redor e dentro de nós.

A gente começa, então, a refletir sobre o que conseguimos neste ano. A depender da nossa energia, o nosso ponto de vista muda diante das nossas conquistas. Aconselho a praticar a positividade porque, assim, temos mais êxito no momento de avaliar a nossa trajetória em 2017. Diante de toda a reflexão, vem nossos próximos desejos. O que você quer em 2018?

Se eu for fazer essa avaliação comigo, posso dizer que 2017 foi, sim, um ano bom. Veja só: obtive um novo diagnóstico – que não foi legal, mas, em compensação, comecei meu novo tratamento de saúde em tempo hábil. Antes que perguntem, tenho espondiloartrite. Comecei o ano longe de um emprego que eu estava doida para me livrar e, ainda por cima, saí de dois outros que me deixavam insatisfeita. Como resultado, comecei a trabalhar em um lugar bem mais bacana.

Eu também engordei 3 quilinhos que perdi em 2017 e meu número de seguidores despudorados aumentou lindamente junto com os stories do insta, que começaram a bombar. Eu passei a me sentir cada vez mais à vontade frente à câmera e à vida. Oh, que belezura! Eu também comecei a descobrir meu estilo e identificar mais facilmente o que melhor fica em mim. Nossa, tenho me sentido mais bonita e mais à vontade em qualquer lugar.

Aaaaaah, também tive desamores que me fizeram ver o quanto as pessoas são voláteis e o quanto podemos nos frustrar com elas. Em contrapartida, conheci outra que está me fazendo viver aquela época em que eu era a louca, sabe? Saía dando umas por aí. Pois é, tenho vivido um dos momentos mais despudorados e intensos do ano. Ui, bom demais. Mas tudo o que eu disse não é porque meu ano só teve coisas boas, mas porque eu estou canalizando minhas energias apenas para elas. A diferença de como vamos seguir em frente tem muito a ver com a retrospectiva que fazemos, sabia?

O Natal é essa época de reflexão e de fechamento de mais um ciclo. Assim como eu fiz essa atividade de casa com vocês, porque você não faz também? Vamos buscar paz dentro de si e, por meio da fé, vamos nos vitalizar. Que todo esse espírito e discurso natalino não sejam apenas palavras soltas, mas realmente signifiquem algo pra gente. Para vocês, meu Feliz Natal!

Jornalista. Baiana. Leonina. Feminista preta. Apaixonada por tudo o que diz respeito a sexo e sexualidade. Palavras e fotografias são suas taras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.